quinta-feira, março 29, 2007

O amor

Quando tudo se acalma no silêncio, eu volto
à beira deste berço em que meu filho dorme
com os olhos tão fechados que quase não poderia
penetrar no seu sono a moeda de um anjo.

Deixados ao abrigo da sua ternura surgem
pela colcha em desordem,muito perto das mãos,
os brinquedos que teve todo o dia consigo,
ensaiando um afecto a que já sou estranha.

Quem a mim esteve unido qual carne em minha carne,
um pouco mais se afasta cada instante que vive;
mas essa é minha mágoa e meu júbilo simultâneos,
porque se fecha o círculo e o caminho ao amor.

Maria Victória Atencia

2 Comments:

Blogger Daniel Aladiah said...

Outra forma do amor... das que duram.
Um beijo
Daniel

31 março, 2007  
Anonymous Andarilhus said...

Sentido. Muito sentido na simplicidade do afecto maior e descrito com a mior das simplicidades. Tudo simples, puro e verdadeiro...
Como tens passado I? Dá notícias...
"(ªoª)"

02 abril, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

on-line hits.