terça-feira, março 27, 2007

Letra para um solo de Charlie Parker

Como estranha ave de presa
que ferida de morte flectisse
a hipérbole do voo na agonia
prolongada, é um canto angular,
terso, de arestas poluídas.
Polígono torturado, perturba-o
a iminência adiada de um grito
de socorro.Em sua chama viva
perpassam secretas vozes de rebeldia,
bárbaros sons de tormenta.No clamoroso
incêndio da ira e da raiva
(é preciso saber escutar),
a urgência implorativa
de um pouco de ternura.


Rui Knopfli

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

My dear Isabel, do you feel like this, like this agonizing bird? What can I do to make you feel better?
W

28 março, 2007  
Blogger I said...

:-((( nothing at all

28 março, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

on-line hits.