domingo, novembro 05, 2006

Iniciação

Qual vela,que tem sede,
Eu beijo em verde mar,
Que Amor me dá e cede,
Amor por mim se mede,
E a Lua é luminar.

Fervor pela donzela,
Meu lume é cor de lis…
Uns chamam-lhe uma Estrela,
Alguns, a caravela,
Mas outros, Beatriz.

É nela que eu prossigo
Na vela para as ilhas.
Em procelas e p’rigo
Eu nado e vou contigo
Voando, em maravilhas.

Voando, vou ao céu.
Nadando, vou ao cume.
Mas é por ser mais eu
Que mato o mausoléu,
Que beijo, Amor, o lume.

Por isso, em minha barca,
Na branca, branca Lua,
Não há guia, nem marca,
Apenas matriarca
Já faz duma falua.

E, frater na viagem,
Ó flor, que eu seja forte.
Não há via, nem vagem,
Por isso ele é um pajem,
Ó Deus, até à morte.

Paulo Brito e Abreu

1 Comments:

Blogger joão marinheiro said...

Sempre uma bela escolha. Abraço enquanto tento salvar barcos e memórias....

06 novembro, 2006  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

on-line hits.