quarta-feira, novembro 23, 2005

Espejo

Soy plateado y exacto. No tengo preconceptos.
Cuanto veo, lo trago inmediatamente
Tal cual es, sin empañar por amor o desagrado.
No soy cruel, sólo veraz:
Ojo de un pequeño dios, cuadrangular.
Casi todo el tiempo medito en la pared de enfrente.
Es rosada, con lunares. La he mirado tanto tiempo
Que creo que es parte de mi corazón. Pero fluctúa.
Las caras y la oscuridad nos separan una y otra vez.

Ahora soy un lago. Una mujer se inclina sobre mí,
Buscando en mi extensión lo que ella es en realidad.
Luego se vuelve hacia esas mentirosas, las bujías o la luna
Veo su espada y la reflejo fielmente.
Me recompesa para ella. Que viene y se va.
Todas las mañanas su cara reemplaza la oscuridad.
En mí ella ahogó a una muchachita y en mí una vieja
Se alza hacia ella día tras día, como un pez feroz.

Sylvia Plath

5 Comments:

Blogger mfc said...

A comparação da mulher à luz que tudo gera! Muito bonito.

23 novembro, 2005  
Blogger  said...

Viste o filme Sylvia? Gostaste?

24 novembro, 2005  
Blogger Peg solo said...

não sei porquê mas sendo Sylvia Plath "british" parece-me estranho lê-la em castellano.. supreendente é que fique bem na "lengua de nuestros hermanos" e fica! talvez as palavras bem entrelaçadas fiquem bem em qq lingua..

24 novembro, 2005  
Blogger I said...

Não, não vi...nem sabia da existência desse filme...foi há muito tempo?Bolas...como fui perder...

25 novembro, 2005  
Blogger  said...

O filme é do ano passado. Com a Gwyneth Paltrow...é um filme escuro.
Bem, na altura não gostei muito, mas agora em perspectiva acho que gostei...não sei tinha que ver outra vez.

25 novembro, 2005  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

on-line hits.