quinta-feira, dezembro 29, 2005

Lo Fatal

A René Perez

Dichoso el árbol que es apenas sensitivo,
y más la piedra dura porque esa ya no siente,
pues no hay dolor más grande que el dolor de ser vivo,
ni mayor pesadumbre que la vida consciente.

Ser, y no saber nada, y ser sin rumbo cierto,
y el temor de haber sido y un futuro terror...
Y el espanto seguro de estar mañana muerto,
y sufrir por la vida y por la sombra y por

lo que no conocemos y apenas sospechamos,
y la carne que tienta con sus frescos racimos,
y la tumba que aguarda con sus fúnebres ramos,
y no saber adónde vamos,
ni de dónde venimos!...


Ruben Dario

5 Comments:

Anonymous Louco de Lisboa said...

Isabel, queres fazer o favor de pores poesia que eu não necessite traduzir????? BOM DIA...
Beijo até outro momento...

01 janeiro, 2006  
Blogger I said...

Bom dia e BOM ANO!!!!! Não refile senhor Louco de Lisboa! Estou a dar-lhe uma oportunidade unica ,de ter uma imensa vontade de aprender outras linguas!!!!

01 janeiro, 2006  
Anonymous Louco de Lisboa said...

Olha... tu queres é conversa!!
Isso é mas é pretexto para me "teres" por perto, enquanto faço tradução e tal e coiso "sentes-me" por aqui no teu blog, querias!!!!!
Nunca ouviste dizer que burro velho não aprende linguas??!!

PS: Isto é o reflexo da tua acção em me teres visitado, não me digas que tinhas perdido o meu endereço?! ;)

Beijo, até outro momento...

01 janeiro, 2006  
Blogger Amir said...

(...)
Me has dado la libertad que no tiene el solitario.
Me enseñaste a encender la bondad, como el filego.
Me diste la rectitud que necesita el árbol.
Me enseñaste a ver la unidad y la diferencia de los hombres.
Me mostraste cómo el dolor de un ser ha muerto en la victoria de todos.
(...)
Me has hecho indestructible porque contigo no termino en mí mismo.

Pablo Neruda

02 janeiro, 2006  
Blogger JPD said...

Bom ano 2006

03 janeiro, 2006  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

on-line hits.