sexta-feira, novembro 04, 2005

Violoncelo

Chorai arcadas
Do violoncelo!
Convulsionadas,
Pontes aladas
De pesadelo...

De que esvoaçam,
Brancos, os arcos...
Por baixo passam,
Se despedaçam,
No rio, os barcos.

Fundas, soluçam
Caudais de choro...
Que ruínas (ouçam)!
Se se debruçam,
Que sorvedouro!...

Trémulos astros...
Soidões lacustres...
– Lemos e mastros...
E os alabastros
Dos balaústres!

Urnas quebradas!
Blocos de gelo...
– Chorai arcadas,
Despedaçadas,
Do violoncelo

Camilo Pessanha

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

May you live in exciting times
But the "old media" is alive and well here in the former capital of French Indochina.
Find out how to buy and sell anything, like things related to road construction safety equipment on interest free credit and pay back whenever you want! Exchange FREE ads on any topic, like road construction safety equipment!

04 novembro, 2005  
Anonymous Menina_marota said...

Espectacular poema!! Já não o lia há uns tempos!!

Passei para ler-te e deixar um abraço carinhoso ;)

07 novembro, 2005  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

on-line hits.