sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Rosa do Mundo

Rosa. Rosa do mundo.
Queimada.
Suja de tanta palavra.


Primeiro orvalho sobre o rosto.
que foi pétala
a pétala lenço de soluços.

Obscena rosa. Repartida
Amada.
Boca ferida, sopro de ninguém.

Quase nada.


Eugénio de Andrade

1 Comments:

Blogger manhã said...

poesia pura e dura. ai que me tragam a poesia e me deixem adormecer sobre ela!

04 março, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

on-line hits.